Notícias

A ponte de quase 3 km está sendo erguida sobre o Rio São Francisco.

Ao atravessar quase todo o estado da Bahia nos seus 1.527 km de extensão, as obras da FIOL (Ferrovia de Integração Oeste-Leste) revelam a complexidade e o cuidado necessário ao desenvolvimento de seus projetos de engenharia.

No desafio maior que é construir um empreendimento de grande porte como esse, está a construção de uma ponte ferroviária que atravessa o leito do Rio São Francisco, entre os municípios baianos de Serra do Ramalho (margem esquerda do rio) e Bom Jesus da Lapa (margem direita).

Trata-se da maior ponte ferroviária da América Latina, com 2,9 km de extensão. O empreendimento, que começou em dezembro de 2014, compreende 82 pilares verticais, sendo o maior deles de 18 metros de altura. A obra também prevê a instalação de 160 vigas horizontais fabricadas em concreto com armadura de aço com 140 toneladas cada uma.

Todo o projeto foi pensado de forma a não intervir no curso natural do Rio São Francisco. Segundo Gondiberto Filho, engenheiro da Valec, esse é o motivo pelo qual não está sendo usada nenhuma técnica de barragem ou ensecadeira (espécie de proteção à prova d’agua). “Um dos maiores desafios é a execução das fundações no leito do Rio São Francisco, pois exige uma grande logística de embarcações de apoio e está submetida às variações de nível d'água do rio”, explicou.

No momento, os trabalhadores concluem as fundações e a instalação dos pilares. Na próxima fase, ocorrerá o lançamento das vigas e a concretagem da laje. O avanço está sendo registrado mês a mês em imagens aéreas que registram o estado da obra [ver vídeo abaixo].

O engenheiro da Valec Luiz Guilherme Pinto é quem grava e edita os vídeos que contam a história de nascimento desta ponte. Os clipes são publicados no site da Valec e também no YouTube, onde Luiz comanda um canal chamado “Vida Engenharia”, em que posta vídeos sobre noções gerais do ofício.

O canal teve 4 milhões de visualizações no ano passado e já conta com 86 mil inscritos em apenas 2 anos no ar. “Eu sempre gostei de fazer vídeos e, depois que comprei um drone, quis mostrar como uma obra acontece, porque quando as pessoas veem uma construção concluída, não têm noção do trabalho que exige levantar uma ponte tão extensa”, afirmou.

A Valec é a proprietária do empreendimento e exerce o papel fiscalizador, tanto na parte técnica quanto na de meio ambiente, segurança do trabalho, desapropriações, aprovação do projeto executivo e tudo que envolve o desenvolvimento da construção como um todo.

Além disso, empresas contratadas prestam serviços especializados de obra e supervisão, incluindo mão de obra e equipamentos. A previsão é que a ponte fique pronta no ano que vem.

Para outros vídeos sobre a ponte, acesse o canal “Vida Engenharia” no Youtube.


(Fonte: ASCOM)