Notícias

Apenas três meses após o início das obras do Pátio de Anápolis, em Goiás, já é possível observar o rápido avanço na execução do projeto do RCD 01/2013, que engloba o projeto executivo e a execução das obras de implantação de um dos principais pontos de carga e descarga da Ferrovia Norte-Sul. A terraplanagem deve ser concluída em meados de novembro, quando se dará início a montagem dos dormentes, e a colocação dos trilhos, já armazenados no canteiro. O consórcio Engesolo-Pelicano utiliza 40 caminhões basculantes, 108 máquinas e 260 pessoas trabalhando em dois turnos. Cerca de 90% da mão de obra é formada por residentes locais.

Em visita ao pátio na semana passada, o diretor-presidente da Valec, Josias Sampaio Cavalcante Júnior, acompanhado do diretor de operações, Bento de Lima, avaliaram o desempenho da construção. Eles se mostraram otimistas logo após percorrerem o Pátio de Anápolis e o ramal de 3 km até o Túnel 2 da Ferrovia Norte-Sul. “Visitamos a obra agora e ela está bem adiantada”, afirmou Josias Sampaio Júnior.

Além do Pátio de Anápolis, a Valec realiza a obra do Pátio de Uruaçu, também em Goiás, e do Pátio de Gurupi, em Tocantins. De acordo com o presidente da Valec, toda a linha entre Palmas e Anápolis deve estar concluída ainda este ano e entrar em operação a partir do ano que vem. “Em dezembro, teremos toda a linha já liberada, o Pátio de Gurupi praticamente concluído e uma parte do Pátio de Uruaçu iniciada”, disse.

No Pátio de Anápolis, 260 pessoas trabalham em dois turnos para entregar a obra no prazo.

O presidente da Valec e o diretor de operações (ao centro) avaliam detalhes do projeto do Pátio de Anápolis.


Crédito das imagens: divulgação VALEC

Texto: Assessoria de Comunicação